BLOG DO VIAJANTE

Viagem
publicado em:  30 Nov 2019

Meetup Trekking São Nicolau

Autor(es): Décio Barros. 


Autor(es): Décio Barros


Os homens e as mulheres do passado deixaram uma valiosa herança, a ilha de São Nicolau - os caminhos vicinais. A ilha possui um incrível rede de caminhos vicinais por toda a ilha e atravessam paisagens lindíssimas e diversificado, desde vales e montanhas verdejantes, montanhas e planícies áridos e vulcânicas. Os caminhos vicinais foram construídos porque não havia transporte e devido ao relevo acidentado da ilha.



Hoje, a rede de caminhos vicinais é aproveitado para trekking, a palavra que o dicionário de viagem define como percurso pedestre que segue um trilho. Aqui, a Associação de Turismo de São Nicolau esteve no terreno, definiu-se os trilhos e os respectivos sinalética de orientação. A associação de turismo quer implementar uma estratégia integrado, desde guias, formação para artesões, disponibilização do alojamento e restauração ao longo dos percursos. O percurso principal, dos trilhos, de cerca de 70 km de extensão, que atravessa a ilha de uma ponta a outra, de Carriçal à Carbeirinho, pode ser feita em etapas com pausa nos alojamentos e restauração assinalados ao longo dos percursos.

A ilha de São Nicolau conta com 2 dos 7 Maravilhas Naturais de Cabo Verde, O Carbeirinho (na categoria ilhéus, rochas, rochedos e grutas monumentais) e o Monte Gordo (na categoria paisagens ou áreas de interesse científico).



O potencial de turismo de natureza em São Nicolau é consensual. É o motor para o desenvolvimento da economia da ilha. Do potencial à concretização, todos os debates, fóruns, conferências, conversas levam ao mesmo constrangimento - os transportes aérea e marítima de e para a ilha São Nicolau. Todos consideram que as viagens são reduzidas e irregulares.

Os sucessivos Governos de Cabo Verde procuram equilibrar a balança da oferta turística do país, entre o "sol & praia" e turismo de natureza. A maioria esmagadora dos turistas que visitam Cabo Verde procuram "sol & praia" nas ilhas do Sal e da Boa Vista.

A ilha de São Nicolau (Câmaras Municipais e Associação de Turismo) quer oferecer um turismo de natureza de qualidade, aliado a rica cultura e gastronomia. Há uma aposta em formação de guias, da indústria de transformação de produtos locais, no alojamento em centros urbanos e aldeias e sinalização dos trilhos.

O Meetup Trekking São Nicolau
O Meetup Trekking São Nicolau, o evento anual que acontece na 2ª semana de novembro durante, 4 dias com 3 dias dedicados as caminhadas com 6 trilhos (2 por dia e em simultâneos). O evento já vai na 2ª edição, com objectivo de reunir "caminhantes/turistas" nacionais e estrangeiros e promover a ilha.



Nesta 2ª edição, que decorreu de 14 a 17 de novembro 2019, participaram cerca de uma centena de caminhantes, grande maioria eram nacionais, provenientes das ilhas de Santiago, Sal e São Vicente. De entre os estrangeiros, vieram de Portugal, Espanha, França, Alemanha, Irlanda e outros.

E nós, saímos da ilha de Santiago, para participar no Meetup Trekking São Nicolau 2019. Em 3 dias, participamos em 3 caminhadas. Todas com concentração no Centro Histórico de Ribeira Brava, ao largo da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário. Que, diga-se de passagem, a igreja construída no seculo XVIII, é património histórico, arquitetónico e faz parte da memória coletiva das gentes da ilha São Nicolau, foi sede do Bispado de Cabo Verde e Guiné (de 1867 a 1943) e ter servido de Sé durante quase dois séculos.

Caminhada 1: Trilho Galeria Fajã / Ribeira Prata e Carbeirinho
Do largo da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário, houve transfer até a uma das entradas da Galeria de Fajã, onde iniciamos a caminhada com o trilho: Galeria de Fajã - Morro Homem - Pico Agudo - Ribeira Prata e transfer para Carbeirinho.

A caminhada, trekking, permitiu atravessar o verdejante Vale de Fajã (um dos poucos vales verdejante durante o ano todo, em Cabo Verde), até à Ribeira Prata, sempre em caminhos vicinais, a observar e interagir com as vivências das gentes de São Nicolau. Na localidade de Ribeira Prata, foi o termino da caminhada, com percurso de 12,5 Km. E hora recarregar energia com, a merecida, gastronomia tradicional de São Nicolau. Muito Bom! É nesta localidade que situa a famosa "rotcha scribida" , popularizada na morna pela Cesária Évora.

Da Ribeira Prata houve transfer para Carbeirinho, com passagem pela localidade de Praia Branca, a "Terra d´Sodad" onde nasceu a morna "Sodade", também popularizada pela Cesária Évora. A morna "Sodade" cantada pela primeira vez em 1954, pelo compositor Armando Zeferino, dedicado aos amigos e conhecidos da Praia Branca que iam partir (devido as secas que assolavam o arquipélago de Cabo Verde) como contratados para o São Tomé e Príncipe. Praia Branca, é também, a terra natal de Paulino Vieira, musico-compositor de "Um cria ser poeta".



De Praia Branca fomos para a falésia de Carbeirinho, uma das 7 Maravilhas Naturais de Cabo Verde, lugar fantástico, que o vento e o mar esculpiu . A beleza cénica é brutal. Carbeirinho é uma das mais importante ponto turístico da ilha.

A jornada terminou na cidade do Tarrafal, em convívio com musica tradicional ao vivo.


Caminhada 2: Trilho Belém - Morro Alto - Juncalinho
Dia seguinte, expectativas altas para participação neste trilho, de 17 Km que atravessa a parte mais árida de São Nicolau, com passagem junto a maior caldeira vulcânica da ilha. O trekking iniciou na localidade de Belém, em caminhos planos e inclinação suaves até Morro Alto, sempre ladeado de silhuetas das varias montanhas "sobrepostas".

Houve uma pausa para reabastecimento de água junto a "Caldeira", uma paisagem vulcânica deslumbrante, a maior cratera vulcânica da ilha.



A zona este da ilha, tem sofrido com falta de chuvas e tornou tão árida, que a aldeia Morro Alto foi abandonado...restou pardieiros e quilómetros de valiosos redes de caminhos vicinais que liga localidades próximas.



Daqui para frente é sempre a subir, onde é possível ver o mar dos dois lados da ilha, com escarpas de cortar respiração. Ao alto da montanha, com muitos quilómetros nas pernas, é espetacular a vista para a localidade de Juncalinho, o nosso destino. Mais de uma hora para descer até a vila de Juncalinho, onde nos espera a refeição e banho na piscina natural.

Valeu a pena o esforço durante o trilho.


Caminhada 3: Trilho Centro Histórico Ribeira Brava / Santuário Cintinha / Parque Natural de Monte Gordo / Canto Fajã
O terceiro e último dia dedicado às caminhadas, foram 10 Kms. Com arranque no Centro Histórico de Ribeira Brava, e uma subida pelo extenso Vale da Ribeira Brava, com grau de dificuldade fácil, até ao Santuário de Cintinha, em Cachaço. O caminho passa entre as localidades com interação interessante com a população local. Pelo caminho, surge um ponto de interesse, conhecido por "Kazador", onde diz-se que as mulheres solteiras atiram pequenas pedrinhas para um pedregulho grande e estreita, se a pedrinha não cair é casamento certo.



O percurso continua e chegamos a Igreja de Cintinha, no meio de um nevoeiro agradável. A igreja este ano comemorou os 100 anos da sua construção e foi elevada a categoria de Santuário.

De seguida o caminho seguiu para o Parque Natural de Monte Gordo, uma das 7 Maravilhas Naturais de Cabo Verde. A caminhada foi entre o verde da rica vegetação com algumas plantas endémicas e muitos dragoeiros.

O percurso terminou em Canto da Fajã, que juntou duas caminhadas que percorram trilhos diferentes. A nossa espera estava rica gastronomia, demonstração de dança tradicional e música da ilha. Momento mágico, num local mágico. Satisfação geral entre os participantes, a organização e os patrocinadores do Meetup Trekking Saniclau 2019. A próxima edição esta marcada para 13 a 15 de Novembro de 2020.



Ana Seixas é portuguesa, e visita Cabo Verde pela primeira vez, veio propositadamente para participar Meetup Trekking São Nicolau. Ela diz encantada com as paisagens e sobretudo com a gastronomia e as pessoas da ilha. E super satisfeita com a organização.

Da vizinha ilha do Sal, Cleisy Soares, também está a visitar a ilha de São Nicolau pela primeira vez. "Estou completamente deslumbrada. As paisagens são totalmente diferentes daquilo que temos na ilha do Sal...e recomendo a todos os cabo-verdianos a conhecer as nossas ilhas".

O Bruno Monteiro é informático e veio da ilha de Santiago, pertence ao grupo "PopCorn" que reúne jovens residentes na cidade da Praia, amantes do cinema e dos percursos na natureza, para conhecer Cabo Verde. Chegou à São Nicolau depois de uma longa viagem de barco, com escala nas ilhas da Boa Vista e Sal. Movido pelo desejo de conhecer melhor o próprio país. Diz que valeu a pena, os "trilhos fantásticos".

Kyrha Hopffer Varela, também da ilha de Santiago, pertence ao grupo "Caminheiros Sem Fronteira", o maior grupo organizado de caminhadas do país. É pela primeira vez que visita São Nicolau, destaca a morabeza das gentes de São Nicolau e os trilhos "excelentes".








Publicidade


Siga-nos no Instagram em @cvcultural


Publicidade


VIDEOS



Publicidade