Lifestyle

18 Ago 2020

Amor em tempos de pandemia: casal japonês retidos há 6 meses no Sal já se apaixonaram pela cachupa e o grogue

 


Uma história de amor trouxe o casal japonês à Cabo Verde, concretamente na ilha do Sal. Rikiya Kataoka e Ayumi Kataoka casaram em abril de 2019 e resolveram passar a lua de mel com uma viagem a volta do mundo. Depois de passar por vários países, chegaram à Cabo Verde nos finais de fevereiro de 2020 e pretendiam passar 3 semanas. E o próximo destino era as ilhas Canárias.

O encerramento das fronteiras em março, devido a pandemia de Covid-19, trocou as voltas do casal Kataoka. E estão retidos na ilha do Sal há 6 meses. O que podia representar um pesadelo e está a ser um aventura "maravilhosa" para o casal, que partilham nas redes sociais [conta do casal no Instagram].

Com a mais turística ilha de Cabo Verde sem turistas e praticamente todo atividade turística paralisada. O casal Kataoka já experienciaram o verdadeiro sentido da palavra "morabeza" das gentes e da segurança da ilha do Sal, e não dispensam, diariamente, a cachupa e o grogue. Consideram o oceano de Cabo Verde como único, uma beleza.

A historia do casal Kataoka, despertou o interesse do Comité Olímpico Caboverdiano , que os convidaram para serem os Embaixadores de Cabo Verde nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, no entanto adiadas para 2021, devido a pandemia.

Rikiya Kataoka é video maker e está a aproveitar o tempo para captar imagens e promover Cabo Verde, como forma de retribuir o carinho das gentes de Cabo Verde. E classifica o país com a palavra que aprendeu na ilha do Sal - "fofo".

Publicidade


Publicidade




Publicidade