Cultura

11 Set 2020

Por onde anda os «Meia Culpa», o grupo formado por filhos de integrantes do grupo "Simentera"

 


O grupo musical "Simentera", da cidade da Praia, marcou o panorama musical caboverdiana nos anos 90. Lançaram quatro álbuns: "Barro e Voz", 1997; "Raiz", 1998; "Cabo Verde En Serenata", 2000 e Tr´Adictional em 2003. O grupo desfez-se em 2004. Enquanto os pais atuavam no "Simentera", surgiu o grupo "Meia-Culpa", formado por filhos de integrantes do grupo "Simentera".

"Meia-Culpa" composto por Enrique Alhinho (guitarra e voz), Sara Alhinho (voz), Diego Alhinho (percussão), Kady Araújo (voz) , Sori Araújo (guitarra), Alberto Koenig (percussão) e Danae Estrela (guitarra e voz). Ainda continuam ligados pelos laços de amizade e pela música.

O grupo "Meia Culpa" surgiu em 1997, durante um fim de semana na ilha do Sal, em que os Simentera foram atuar. Os filhos dos integrantes integravam a "caravana", aí resolveram fazer uma surpresa aos pais e cantaram "Boas Festas" que caiu no agrado dos graúdos. De regresso a cidade da Praia, organizaram e passaram a atuar nos eventos dedicados às crianças e programas de televisão.

O nome "Meia Culpa" porque os elementos estavam no grupo, metade por culpa dos pais e outra metade por vontade própria.



Na altura, em 1997, Enrique Alhinho tinha a 16 anos, Sara Alhinho com 12, Diego Alhinho com 12, Kady Araújo com 10, Sori Araújo com 14, Alberto Koenig com 9 e Danae Estrela com 17 anos.

KADY ARAÚJO

Kady Araújo, filha de Terezinha Araújo, cantora do Simentera, nasceu em janeiro de 1987, na cidade Praia. Aos 11 anos venceu o Prémio de Melhor Voz no Festival Nacional de Pequenos Cantores. Ainda na adolescência foi vocalista de uma banda rock - "Blende".

No período entre o termino do ensino secundário e o inicio dos estudos superiores, conseguiu uma bolsa de estudos da Center of Creative Youth, para um curso de verão de 3 meses, para formação em Música, dança e teatro na Wesleyan University, em Connecticut, nos EUA. Seguiu para Rio de Janeiro (Brasil) para o ensino superior, mas acabou por mudar para Lisboa (Portugal), onde formou-se em Produção e Marketing de Eventos.

Em 2012, com a Broda Music, inicia carreira a solo, lança o seu primeiro single "N´Kre Voa". Single que ganha nova roupagem em 2014 com participação de Khaly.

Em 2016, lança o primeiro álbum "Kaminho" [ver no Youtube ] com editora Broda Music, e com distribuição em Portugal da Sony Music. O álbum "Kaminho" contou a participação da mãe Terezinha Araújo e os ex-companheiros da "Meia Culpa" - o irmão Sori Araújo (guitarra) e Alberto Koenig (em dueto na faixa 8 ku 80) [ver no Youtube ]. Ainda em 2016, participa em showcase no AME - Atlantic Music Expo, na cidade da Praia. E no mesmo evento ganha bolsa para curso de verão da prestigiada Berklee College of Music, sediada em Boston, EUA.

Em 2020, Kady participou Festival da Canção em Portugal, com transmissão em direto na RTP, atingiu a fase final e classificou na 4ª posição com a música "Diz Só" [ver no Youtube ] da autoria de Dino D’Santiago e com a letra de Kalaf Epalanga.

Atualmente reside em Lisboa e trabalha com a produtora Broda Music.

SARA ALHINHO

Sara Alhinho nasceu em Portugal, mas cresceu em Cabo Verde. Aos 8 anos, participou no álbum "Menino das Ilhas” com o êxito "Sara Sarita", música que ficou na memória das pessoas da geração de Sara Alhinho. "Menino das Ilhas”, um disco com músicas para crianças, foi produzido pela sua mãe Tété Alhinho e o Paulino Vieira.

Formou-se em Comércio Externo e Marketing, nas Canárias.

Com a mãe, gravou o disco "Gerassons", em 2008 [ver no Youtube ]. Disco que valeu uma digressão para palcos de Espanha, Portugal e Itália, como convidadas do Festival Sete Sóis Sete Luas 2009. De resto, a parceria musical com a sua mãe sempre foi importante para Sara Alhinho, foi a influencia materna que descobriu a capacidade para cantar com 3 anos de vida. Em 2019 Tété e Sara Alhinho atuaram juntas no Festival Musicas do Mundo de Sines, Portugal.

Em 2013, aos 28 anos, lança o seu primeiro álbum a solo "Mosaico" com participação da mãe Teresa Alhinho e os Meia Culpa - seu irmão, Henrique e Kady Araújo [ ver no Youtube ]. "Mosaico" foi produzido no México (terra natal do seu pai).

Em maio de 2018, lança "Ton di Petu", álbum que recorreu ao Crowdfunding para financiar os custos de produção. Desde então continua com vários shows, em Cabo Verde e no estrangeiro, à promover o disco.

ENRIQUE ALHINHO

Enrique Alhinho era vocalista e guitarrista do "Meia Culpa" e o mais extrovertido do grupo. Filho de Tété Alhinho e irmão de Diego e Sara Alhinho

Depois da "Meia Culpa", formou-se em Geografia e Desenvolvimento Regional, em Portugal. Regressou a cidade da Praia e iniciou carreira em Stand Up Comedy em 2013, com shows regulares em Cabo Verde e na diáspora (EUA, Portugal, Holanda, França, Inglaterra e Luxemburgo). Enrique Alhinho tem sido um dos grandes impulsionadores do Stand Up Comedy em Cabo Verde, lançando e incentivando vários jovens talentos para o palco.

Na música participou no álbum "Mosaico" (2013) da irmã Sara Alhinho.

SORI ARAÚJO

Sempre foi "o guitarrista". No grupo "Meia Culpa" com 14 anos, foi guitarrista e compositor. Depois de "Meia Culpa", funda a banda "Mystika" com Watna, John lennon e Sara Mascarenhas.

Formou-se em Marketing pela Universidade de Ciência e Tecnologia da Namíbia. Durante o curso foi co-fundador da banda metal "Multisonus".

De regresso a cidade da Praia, esteve envolvido na banda de rock/metal "Nameless Project". Mais tarde, esteve na banda de heavy metal "Whispers of Doom" criado em fevereiro de 2014. Composto por grupo de amigos, que tocavam antes de 2014, mas que decidiram reunir em banda e participaram na 4ª edição Grito Rock Praia.

Sori Araujo é "guitarrista metal", no entanto acompanha vários músicos dentro do género da musica tradicional caboverdiana. Tocou com a mãe Teresinha Araújo, Tete Alhinho, Djodje e outros. Em 2014 esteve no "Palco do Jornal de Domingo" da TCV, no trio com a mãe e irmã Kady, onde interpretaram "Carta de Contratado" [ver no site da TCV ].

Participou como guitarrista no disco de estreia "Kaminho" da irmã Kady em 2016.

Em 2017 participou no álbum "Funanight" de Mário Lúcio Sousa, integrante do extinto grupo Simentera. Neste disco, teve participação mais ativa no faixa "Nandinha" uma fusão do funana e o heavy metal, com vozes de Mário Lúcio e Zeca di Nha Reinalda.

Atualmente, reside em Cardiff, no Reino Unido, onde prepara seu primeiro álbum a solo.

DANAE ESTRELA

Danea Estrela é prima da Kady Araújo, apesar de não ter pais no grupo Simentera, esteve no grupo "Meia Culpa". Filha da Maritza Rosabal, actual Ministra da Educação de Cabo Verde, nasceu em Havana, Cuba e cresceu em Cabo Verde. Terminado o ensino secundário, foi para Coimbra, Portugal, prosseguir os estudos e continua a residir nas terra lusas.

Danae é cantora, instrumentista e compositora. Em 2005 lançou seu álbum de estreia "Condição de Louco". Em 2009 lançou segundo álbum "Cafuca" com a banda Novos Crioulos [ver no Youtube ].

Em abril de 2019 esteve em showcase no AME - Atlantic Music Expo, na cidade da Praia. Agora com 41 anos, lançou neste ano, o álbum "Num Tempo Ki Ka Tem Tempo".

ALBERTO KOENIG

Nasceu em Havana, Cuba, em 1988, e cresceu em Cabo Verde. Filho do músico Mário Lúcio Sousa, fundador do grupo Simentera, e sobrinho de Princezito. Era o mais novo do grupo "Meia Culpa". Foi percussionista do grupo.

Depois da "Meia Culpa" seguiu, também como percussionista na Companhia de Dança "Raiz de Polon". Integra o grupo "TC", com Djodje e Ricky Boy, até aos 16 anos. De seguida, funda a banda "BPM" onde inicia percurso como vocalista e guitarrista.

Após o ensino secundário, seguiu para Brasil para estudar arquitetura. Suspendeu o estudo superior, para formar um banda , que atua pelo Brasil e Cabo Verde. No Brasil participou no programa/concurso musical de grande audiência, o "Ídolos Brasil" de 2010 da TV Record, ficou nos 50 classificados para o casting no Teatro São Paulo num total de 43 mil candidatos.

De regresso à Cabo Verde, participa no Festival Vis-a-Vis (promovida pela Cooperação Espanhola), na cidade Praia, em abril de 2011. Foi um dos vencedores que lhe valeu vários concertos em Espanha [ver no Youtube ].

Lança single "Exceção à regra" [ver no Youtube ] em 2015.

Em 2016, participa no álbum de estreia da Kady, em dueto na faixa "8 ku 80". No mesmo ano, lançou seu single Pake Fadiga [ver no Youtube ].

Subiu ao palco com pai, no show " Mário Lúcio: 40 anos Percurso Musical" em setembro de 2019. Antes em 2007, subiu ao palco pela primeira vez fora de Cabo Verde, com o pai, na Feira da Musica de Fortaleza (Brasil) em 2007.

Desde inicio de 2019, faz parte do novo grupo musical "Azágua", baseado na cidade da Praia, com Dieg, Fattu Djakité, Nelly Cruz, Djodj Almeida e Ndu [ver no Youtube ]. Grupo com grande aceitação do público caboverdiano e feedback positivo dos "críticos" da música crioula.

DIEGO ALHINHO

Diego Alhinho é o único dos "Meia Culpa" que não seguiu o percurso artístico. Depois que o grupo desfez-se, continua a tocar esporadicamente no Quintal da Música, a acompanhar músicos como Vadú e outros. Formou-se em Biologia Botânica, no Brasil. Regressou a Cabo Verde em 2012. Enrique Alhinho brinca "meu irmão não continuou na música, mas é um talento a fazer o pão". Culinária é também cultura, e Diego Alhinho iniciou um negócio na produção artesanal de pães integrais, com a marca "Morada d’Sodad" com algum sucesso na cidade da Praia.

É um dos fundadores da ONG ambiental "Lantuna", em 2013, com sede na ilha de Santiago. Organização que é também presidente.

Em 2019 foi selecionado para o programa Programa Jovens Líderes Africanos (YALI), designado Mandela Washington Fellowship. Onde passou seis semanas, num curso de formação "Leadership in Civic Engagement" na Universidade de Nebraska em Lincoln.



Publicidade


Siga-nos no Instagram em @cvcultural


Publicidade




Publicidade