Cultura

09 Abr 2021

Raiz di Polon apresenta "CV Matrix 25", 21 anos depois da sua estreia

 
Raiz di Polon. [foto Decio Barros]
 
Raiz di Polon. [foto Decio Barros]
 
Raiz di Polon. [foto Decio Barros]


"CV Matrix 25" de Companhia de Dança Raiz di Polon, com coreografia de Mano Preto, esteve nesta sexta-feira (9) no palco do Auditório Nacional, na cidade da Praia. 21 anos depois da sua estreia, no CCB, Centro Cultural de Belém, conceituado sala de espectáculos, em Lisboa. Com enorme sucesso.

O show no Auditório Nacional está enquadrado no projecto "Badjo Kabo Kaba", que está a promover a dança durante neste mês de abril. A apresentação da peça contou com 8 dançarinos. Do elenco original restam bailarinos Mano Preto, Bety Fernandes e Rosy Timas. Os restantes são frutos da aposta na formação da Companhia de Dança Raiz di Polon.

"CV Matrix 25" - CV, Cabo Verde. Matrix, novas tecnologias. E 25, em alusão aos 25 anos da Independência Nacional.

Mano Preto, bailarino e membro e fundador da Companhia de Dança Raiz di Polon, lembra que na altura estavam em Portugal num outro projecto, foram ver o filme "Matrix", daí surgiu a ideia para o nome da peça. "Já tínhamos, eu e o músico Orlando Pantera, feito uma pesquisa sobre a vivência dos cabo-verdianos na construção civil em Portugal".

O bailarino conta que a peça "CV Matrix 25" percorre a questão da emigração, devido a seca muitos cabo-verdianos abandonaram a agricultura para trabalhar na construção civil no estrangeiro. "é uma peça muito exigente em termos técnicos, sobretudo de som, pois a peça tem muita movimentação dos elementos, que dançam e cantam".

A peça esteve em cartaz de 7 a 13 dezembro de 2000, no CCB, em Lisboa, e contou com música ao vivo de Orlando Pantera e Mário Lúcio. Alias, Pantera teve uma participação ativa na peça, com performance de dança e música em simultâneo.

Depois desta estreia, a peça esteve em mais de 20 países, como Brasil, China, Cuba, Espanha, Holanda, Alemanha, Dinamarca, Croácia, Roménia, Senegal. Só na Holanda teve num tour em 11 cidades. "Tínhamos 2 técnicos apoiados pela Philips [multinacional holandesa, especializada em equipamentos audiovisual], que experimentaram connosco, novos tecnologia de som".

A Companhia de Dança Raiz di Polon está a comemorar 30 anos de vida. Já presenteou o público da Praia dois shows, com entrada gratuita, nesta sexta-feira foi "CV Matrix 25", no Auditório Nacional, na semana passada foi "Cidade Velha" na Casa Padja - Parque 5 de Julho. Mano Preto disse que Raíz di Polon quer fazer apresentação mensal das peças, ao longo deste ano. O próximo será "Pêtu" que estreou em 1999. E pede aos apreciadores da dança para ficarem atento a página oficial da Companhia no Facebook - www.facebook.com/raizdipolon.polon

Publicidade








Publicidade