Viagem

10 Out 2021

"Gruta de Lázaro" e a lenda de um homem que retirava dos ricos para redistribuir aos pobres

 


Diz a lenda, por volta de 1850, havia um crioulo chamado Lázaro, perante desumanidade do regime colonial e desigualdade social, roubava aos ricos e redistribuía aos pobres. A semelhança do Robin Hood (Robin dos Bosques), o mítico herói, na Inglaterra do século XII.

Lázaro alegadamente se refugiava e guardava os produtos das suas façanhas numa gruta na zona de São Francisco, na localidade de Portete, cerca de 9 Kms do centro da cidade da Praia. O lugar ficou conhecido por "Gruta de Lázaro". Segundo as narrativas orais, os "tesouros" que o Lázaro roubava ainda poderão estar guardadas no interior da gruta.

Para as autoridades da época, Lázaro era referenciado como um bandido feroz e com uma rara audácia. E com grande capacidade para ludibriar os agentes de ordem pública. Em 1861, Lázaro foi capturado e condenado à morte por esquartejamento. Dizem que foi enforcado num acto público, na atual, Praça Alexandre Albuquerque no Plateau, informação que carece de dados precisas.

"Gruta de Lázaro" é agora um dos pontos turísticos do concelho da Praia. O local recebeu, há 6 anos, obras de reabilitação e inclusão de uma escada de acesso. No ano passado, foi colocada placas de orientação e informativas. A gruta tem cerca de 10 metros de profundidade. No seu interior paira mistério e a sensação de algo mais por desvendar.

Uma outra versão da origem do nome "Gruta de Lázaro" está relacionada com as semelhanças das referencias bíblicas, sobre o Jesus que ressuscitou Lázaro numa gruta na aldeia de Betânia na antiga Judeia. E uma outra curiosidade nesta história é a presença de uma figueira (uma arvore referida em muitas ocasiões na Bíblia) que nasce no interior da gruta e cresce em direção ao exterior, à procura da luz do sol. Segundo os residentes da localidade, a figueira já foi cortada no pé, várias vezes, mas volta crescer com a mesma forma.



Publicidade








Publicidade